Big data e sua Importância na Transformação Digital

Big data e sua Importância na Transformação Digital

Big data e sua Importância na Transformação Digital

1024 720 Sandra Turchi

A expressão big data ganhou popularidade em meados dos anos 2000, quando o Google e em seguida o Yahoo passaram a fazer uso do recurso para alavancar suas plataformas. O termo, que em inglês remete a “grandes dados”, refere-se à possibilidade de armazenamento de uma grande quantidade de dados armazenados.

O objetivo do big data é basicamente aprimorar os processos de trabalho de seu usuário, ao obter interpretações rápidas e valiosas sobre as tendências do mercado, comportamento de consumo e oportunidades potenciais.

Os resultados alcançados usando esse recurso refletem para as organizações na possibilidade de agir de modo eficaz e antecipadamente à concorrência, estando assim à frente no mercado. Desse modo, o sucesso corporativo tende a ser mais certo, considerando o contexto de extrema competitividade do mundo globalizado.

Saber como funciona o big data, como também aplicar o recurso aos negócios, é um critério de alta relevância para alcançar e manter a liderança no mercado. A ferramenta é essencial no atual cenário corporativo e tem como base o volume, a velocidade, a variedade, a velocidade e o valor. Entenda.

Os 5 V’s do big data

A base do recurso de grande armazenamento de dados utiliza como base cinco critérios, ou os cinco V’s. São eles:

Volume

O big data possibilita o armazenamento de fontes variadas, como transações comerciais, redes sociais e dados automáticos transmitidos por máquinas ou sensores. Em outros tempos, seria inviável armazenar essa quantidade de informações, ainda mais em se tratando de vias estratégicas.

Velocidade

Os dados úteis para as organizações são disponibilizados em uma velocidade impossível de se trabalhar de forma manual. O big data faz uso de identificação por radiofrequência (RFID), sensores, dispositivos móveis e medidores inteligentes para lidar com a velocidade do mundo informatizado.

Variedade

A variedade refere-se aos diferentes formatos e estruturas em que os dados são gerados. Há importantes dados numéricos, de áudio, vídeos, textos e até não estruturados, que precisam ser organizados e estudados de acordo com o objetivo de cada organização.

 

Veracidade

O fundamento veracidade diz respeito aos dados de dinâmica humana registrados nas trilhas de navegação ou interação de redes sociais. Os dados assim catalogados são entendidos como interações reais, por isso válidos para o big data.

Valor

Esta é a base de maior importância para a ferramenta. O big data tem a capacidade de discernir quais dados e informações apresentam mais valor para o negócio, como a página mais acessada, a que gera mais interação e o canal com mais conversão de vendas. Com isso, o empreendedor consegue identificar o melhor foco de investimento para gerar maior retorno ao seu negócio.

A junção das cinco bases do big data permite, então, uma análise precisa de todas as informações públicas, englobando dados estruturados e não estruturados, como conteúdos disponíveis em áudios, documentos, imagens e vídeos.

Entenda a importância do big data

O big data é de suma importância para uma organização na medida em que, combinado com o analytics, estrutura as informações coletadas. Dessa maneira, o recurso pode ser utilizado para catalisar o alcance de objetivos como:

• Identificar condutas de impostura e fraude antecipadamente a qualquer dano que possa ser causado à organização;
• Encontrar a origem dos problemas e falhas da organização em tempo quase real;
• Refazer o cálculo de carteiras de investimento com velocidade formidável;
• Criar dinâmicas de venda conforme o comportamento dos clientes.

O recurso de armazenar um número significativo de dados é capaz, enfim, de reduzir custos e tempo de trabalho, repensar sobre produtos e serviços com foco na otimização de vendas e auxiliar nas tomadas de decisões mais eficientes. O big data possibilita a execução de macroestratégias em tempo e espaço antigamente inimagináveis.

Como aplicar a big data em uma organização

A implantação do big data deve ser adequada aos objetivos e porte da cada organização. A ferramenta pode ser utilizada, por exemplo, por uma empresa farmacêutica que pretende ampliar sua rede regional. Assim, o big data pode coletar dados demográficos dos locais próximos à empresa, bem como informações associadas às doenças predominantes na região, intenções e comportamentos de compra.

A aplicação das técnicas do big data é bastante vasta, com possibilidade de executá-las de acordo com o cenário e o momento da organização. O recurso catalisa a tomada de decisão estratégica, sendo que pode ser utilizado por organizações de qualquer dimensão.

3 Vantagens básicas do big data

A ferramenta de grande armazenamento de dados apresenta três grandes vantagens:

Interpretação de quantidades exorbitantes de dados

O big data trouxe para a realidade a possibilidade de analisar uma grande quantidade de dados em tempo hábil. Em outras palavras, o recurso permite a utilização de dados significativos na aplicação de estratégias e tomadas de decisão urgentes. O diferencial da ferramenta está na velocidade com que a análise de dados acontece.

Capacidade de analisar dados não estruturados

O big data é apto para analisar dados não estruturados sem perder a velocidade de análise e a precisão dos resultados. O recurso diferencia-se das outras ferramentas de análise pela capacidade de estruturar dados não precisos em informações úteis à organização, de maneira que possam ser utilizadas para alcançar objetivos traçados.

Reconhecimento de tendência de eventos

A vantagem de conseguir prever eventos auxilia – e muito – a organização a visualizar cenários futuros, direcionando assim suas ações. O big data tem essa capacidade porque analisa os dados de forma aprofundada, com o cruzamento de dados não superficiais, que não poderia ser realizado manualmente.

O big data pode ser usado de diversas maneiras e para variados objetivos, contudo questões referentes à privacidade tornam-se polêmicas quando o recurso é citado. Exemplos disso são os dados capturados pelo Google e Facebook, que conseguem definir parcialmente o que mostrar na tela de cada usuário, conforme seu comportamento on-line.

As legislações da maioria dos países, por outro lado, como no Brasil, não estão estruturadas para tratar questões de tamanha grandeza, o que acarreta uma expansão ilimitada da utilização de ferramentas de armazenamento e análise de dados.

A utilização cautelosa do big data, por outro lado, promete a reestruturação do modo de fazer marketing. O recurso expande velozmente com a forte tendência de revolucionar o mercado, da pequena à grande empresa.

Sucesso!