Marketing nas MPE’s, um conselho…

Marketing nas MPE’s, um conselho…

150 150 Sandra Turchi

Ao ler recentemente uma matéria relatando pesquisa do Sebrae Nacional, realizada junto às MPE's (Médias e Pequenas Empresas), publicada no jornal DCI (03/04/09), tive a comprovação a respeito de uma observação que venho fazendo há algum tempo, desde o agravamento da crise. Pelo que tenho acompanhado, e pude também constatar nessa matéria, as MPE's continuam otimistas para 2009 e mantêm sua disposição em aumentar investimentos e contratações.O quê seria muito alentador, para um momento como esse, não fosse um pequeno detalhe, elas têm valores menores a investir individualmente, o quê não atrai a muitos, mas que somados, representa o que está movendo a economia do país.

Muitos profissionais que tenho contato perderam seus empregos recentemente, sendo a grande maioria, advindos de grandes grupos ou multinacionais, e o que percebo é que eles têm investido seu precioso tempo esperando por vagas em empresas dentro do mesmo perfil. Idem para prestadores de serviços, voltados unicamente para atender essas grandes corporações.

O problema é que não sabemos quanto tempo essa crise vai durar, e nem como ficarão as coisas quando ela passar! Sendo assim, o que tenho aconselhado é que esses profissionais, quase todos com uma formação excelente, mudem de postura e revejam sua atuação, passando a olhar para as MPE's com menos preconceitos, pois provavelmente elas signifiquem a solução para sua vida profissional nesse momento.

Por sua vez, as MPE's não têm verba para grandes salários, como as multinacionais. Então, o aconselho é: "se você tinha um salário de 10 mil - por exemplo - pense na possibilidade de dividi-lo em 5 de 2 mil, e tente prestar serviços a 5 empresas. Passe a oferecer sua excelente formação e sua valiosa experiência a esses empresários, que tanto necessitam de uma visão estratégica ou de um apoio para reestruturar diversas atividades, porém não podem pagar o equivalente ao seu salário anterior... mas que, provavelmente, aceitariam tê-lo apenas uma vez por semana, trazendo seus conhecimentos.

Eu sei que parece uma solução simplista para o atual problema do desemprego, mas enquanto ninguém trouxer uma solução melhor, poderíamos pensar em testar esse caminho!

Quando digo que aconselho, não é como coach ou profissional de RH (que não sou), é porque assumi há uns quatro anos a gestão de um grupo, sem fins lucrativos, chamado "Network Confraria", voltado para fomentar networking entre profissionais experientes de marketing e comunicação, que existe há sete anos e que reúne mais de 650 profissionais. Portanto, tenho uma boa amostra para embasar o que digo.

utro conselho, que também tenho dado, é que "pensem no mundo acadêmico como mais uma alternativa", mas isso ficará para um próximo artigo.

Artigo postado no Jornal Diário do Comércio - maio 09