Natal: Dicas de segurança para suas compras online

Natal: Dicas de segurança para suas compras online

150 150 Sandra Turchi

Natal: tempo de festa, de alegria e de confraternização. Nada mais prazeroso do que participar das brincadeiras de amigo secreto feitas nas empresas, ou mesmo a troca de presentes entre amigos e familiares, antecedidos por aquele momento mágico de escolher as tais “lembrancinhas” para cada uma das pessoas queridas.  Toda essa diversão só perde um pouco a graça, principalmente nas grandes cidades, como São Paulo, por exemplo, porque ir às compras também significa ter de enfrentar o trânsito, que fica ainda mais caótico nessa época do ano, sem falar no empurra-empurra nos shoppings e no comércio de rua, abarrotados de pessoas a qualquer hora do dia e da noite, e ainda na árdua missão de achar uma vaga para estacionar o carro.

(Artigo Exclusivo para o Portal Cidade Marketing)

Por esses e outros motivos, cada vez mais os consumidores estão optando por fazer suas compras, ou pelo menos boa parte delas, pela internet. É o que revela uma pesquisa realizada pela consultoria Deloitte intitulada “Pesquisa de Natal 2012 – Intenções e expectativas do consumidor brasileiro”. Segundo o estudo, este ano, 70% das pessoas das classes A, B e C deverão fazer suas compras no e-commerce, sendo que 37% dos acessos serão via mobile, ou seja, efetuados por meio de celulares, smartphones e tablets, o que é uma novidade em comparação aos anos anteriores.

 

Não há dúvida de que a Web representa uma mão na roda, não só para pesquisar as várias opções existentes em termos de produtos, como também para comparar preços e benefícios oferecidos pelas diversas lojas em termos de condições de pagamento e de prazos de entrega. É também uma forma, bem mais prática, confortável e rápida de se fazer compras, e bastante segura, desde que tomados alguns cuidados básicos.

 

O primeiro deles é dar preferência aos sites conhecidos e lojas virtuais bem estabelecidas, que apresentam certificação digital (um cadeado ou selo de proteção, que ao se clicar sobre ele se obtém informações sobre a segurança daquele site). Outra forma de se saber se a loja é confiável é verificar seu CNPJ na página da web, ou ainda fazer uma pesquisa em sites como o ReclameAqui (www.reclameaqui.com.br ) e o Procon (www.procon.org.br), e analisar se existem queixas sobre a mesma. Vale também perguntar às pessoas conhecidas, da própria rede de relacionamentos, se possuem informações sobre a loja virtual.

O Procon recentemente publicou uma listagem de lojas não recomendadas para o E-commerce (http://www.procon.sp.gov.br/pdf/acs_sitenaorecomendados.pdf).

 

Não acreditar em ofertas mirabolantes, com preços muito inferiores aos dos concorrentes, ou ainda em promoções que exijam o preenchimento de cadastros. Em muitos casos, são formas de hackers e bandidos virtuais terem acesso a informações do consumidor como endereço, CPF, número do cartão de crédito, etc., que poderão ser usados em ações fraudulentas e criminosas.

 

Outra boa dica é não responder a mensagens e nem clicar nos links anexos que chegam por e-mail, SMS, MSN, ou pelas redes sociais. Elas podem ser uma forma de direcionar o consumidor para uma página falsa, criada para roubar seus dados ou para induzi-lo a efetuar uma compra que nunca será entregue.

Outra dica é usar preferencialmente o próprio computador (de casa ou móvel) para fazer as compras virtuais, e não o da empresa ou de lan houses, hotéis, bares e restaurantes, porque o equipamento pode estar configurado para salvar a digitação do teclado e enviar os dados para fraudadores. O mesmo vale para as conexões sem fio desconhecidas, que podem ter sido habilitadas com o intuito de capturar as informações enviadas. O indicado é usar redes wi-fi confiáveis.

Manter o antivírus ativo e atualizado, ter um firewall para controlar o tráfego de dados entre o computador e a internet, são outras medidas de segurança importantes. E para não correr o risco de o presente não chegar no dia, sempre é bom programar as compras com antecedência e não deixar tudo para a última hora. E ainda, verificar os prazos de entrega que são fornecidos pelo próprio site. No mais, é aproveitar esse período festivo (e o tempo ganho, graças às compras on-line) para rever amigos e se divertir!

1 comment
  • Nos últimos anos o crescimento de compras pela internet tem surpreendido bastante;
    Especialmente pela utilização de comprar coletivas, lances e etc. Tenho comprado itens simples pela internet, como peças de computadores a celulares.

    Como a dica a cima diz, perguntar a amigos e familiares pessoalmente ou pela rede social funciona bastante e nos deixa mais seguro em efetuar a comprar.

    Tenho percebido bastante que as empresas estão usando o ‘Marketing de relacionamento’, faço minhas compras e perdidos pelo próprio facebook, onde tiro minhas dúvidas com o responsável, o moderador da fa page da empresa.

    É bem simples e nos sentimos mais próximos da empresa, sendo que avaliamos o relacionamentos com os clientes no geral, onde encontramos pessoas satisfeitas com o serviço e produto prestado e as vezes encontramos pessoas falando mal do serviço.

    Geralmente a reclamação é parte da demora do produto, o sistema de entrega, os correios que fazem um péssimo serviço (que não é novidade alguma). A outra é a troca do material que venha a chegar defeituoso.

    Mas vendo que encontramos melhores disponibilidades de produtos a venda. A exemplo é a compra de um celular pela internet, a empresa oferece um preço x (559,90), fui na empresa presencial e o mesmo celular encontrava sem reais mais caro. Essa é um disponibilidade de comprar no meio digital.

Deixe um comentário