Ter um site bonitinho já não resolve mais | Blog da Sandra Turchi | Comunicação e Marketing Digital

Ter um site bonitinho já não resolve mais

Ter um site bonitinho já não resolve mais

150 150 Sandra Turchi

Com o crescimento consistente da web, tanto em número de usuários como no tempo médio online da população brasileira, de 48 horas/mês, como na presença empolgante nas mais diversas redes sociais, tem ficado evidente para muitas empresas a necessidade de estar presente no universo digital, seja através da reformulação dos seus velhos sites, ou mesmo da iniciação de um projeto novo de vendas pela web.

(artigo para o Portal PEGN - Globo)

Temos assistido ao sucesso perpetrado por algumas empresas na internet, como a Tecnisa, que já virou sinônimo de boas práticas, que até já vendeu pelo Twitter e pelo Iphone, que está presente no Formspring e no Tablet, além de ter uma operação muito bem estruturada de atendimento, seja online ou offline, àqueles que fazem contato.

Por outro lado, ainda podemos observar empresas que consideram que seu site, reformulado há alguns anos, ainda está bem “bonito”, portanto, concluem não ser necessário atualizá-lo. Para essas eu gostaria de dar uma triste notícia, ter um site bonitinho já não resolve mais. Se ele foi feito ou refeito sem os pré-requisitos básicos para que seja “encontrável” (desculpem o neologismo) ou mesmo para que seja mais interativo com seus clientes ou interligado às redes sociais, eu lamento muito, mas hoje ele não é de grande valia aos seus negócios!

Ao concluir isso muitas empresas renomadas estão passando a dar maior atenção ao que tem ocorrido à sua volta, como o Fran’s Café, que reformulou seu site para aprimorar o atendimento aos seus clientes. Ou então a rede de móveis Etna, que lançou sua megastore virtual com mais de quatro mil produtos.

Além de bons exemplos no mundo do turismo como a Decolar.com, que oferece planos de milhagem e fornece descontos especiais em newsletters segmentadas. Ou o lançamento de 1400 títulos em português de livros digitais pela Saraiva.com para o iPad, com preços até 30% menores que as versões físicas,  assim como sua concorrente, a Livraria Cultura, que também tem uma loja virtual com 150 mil títulos disponíveis para download. Ainda temos a Sony Music que reinventou seu modelo de negócios apostando na venda de músicas para celulares e internet.

Há também as redes sociais que proliferam com boas opções, como a +QueReceitas, site de relacionamento voltado aos profissionais e amantes da culinária, focado em aprendizado gastronômico. Ou então o Vaga-lume, de música e entretenimento, a rede Drimio, voltada para integrar pessoas às marcas, existente há um ano e que já tem quase 70 mil usuários. Ou a ByMK, voltada para  o mundo da moda, que já conta com 80 mil internautas cadastrados e já foi utilizada por agências de publicidade e a rede voltada para quem é apaixonado por cinema, a MovieMobz, que tem mais de 25 mil usuários.

Apesar disso, muitas empresas ainda estão “patinando” com relação ao que fazer no mundo da web e nas mídias sociais, utilizando-a para divulgação pura e simples, perdendo a oportunidade de se relacionar e aprender mais sobre os seus consumidores.

16 comments
  • Oi Sandra adorei seu blog, muito interessante e quero colocar um link deste blog no anunciosdovale. V.Sa. permite?
    Aparecido Lopes

  • Sandra, ótimo post, parabéns. Mas gostaria de citar que, o link que direciona ao site do Fran’s Café está quebrado. Creio eu que falta introduzir o “http://” como nos outros links, afim de direcioná-lo para sua verdadeira página, o que não ocorre no caso, fazendo com que ele o procure dentro do seu domínio.

  • Olá Sandra, tudo bem? Obrigado pelo link para o Vagalume. 🙂

    Sou um dos responsáveis pelo site. É possível trocar o link de vagalume.uol.com.br para http://www.vagalume.com.br?

    Muito obrigado!

    Um grande abraço e parabéns pelo site.

    -Daniel

  • Boa tarde Sandra, tenho um blog para vendas de produtos que eu compro direto de Miami seria possivel você divulgar?

    O link é: http://www.raphastore.blogspot.com

    Abs.

    Obrigado.

  • ótimo. E pensar que tem gente que ainda acha que a Internet está na onda web 2.0. :/ Acho que já passamos dessa moda e temos que pensar mais integrado que nunca.

  • A cada dia que passa, fica mais claro que o paradigma por trás de um site deve mudar.

    Desde que a internet ficou pop, todas as empresas decidiram que deveriam estar na rede, sem se preocupar em porque, ou o que isso iria agregar ao seu público. A preocupação sempre foi mais em manter a “identidade visual” da marca, do que proporcionar experiências diferenciadas aos seus clientes.

    Além disso, sites sem um planejamento estratégico bem definido acabam virando “cartões de visitas on-line”, feitos para ser acessados por quem já conhece a empresa e quer ver um telefone.

    Fiz um post na semana passada exatamente sobre isso no meu blog. Dá uma conferida se puder e me diz o que você acha.

    Abs,
    André

  • De fato ter um site “bonitinho” não é eficaz. Que importa de fato é ter um site que venda, que seja interativo e encontrável.
    Para alvancar a captação de leads e aumentar as vendas no meu site utilizo três ferramentas: Live Person, Google Analytics e Adwords. Com essas ferramentas, consigo saber quem está no site, de onde veio, qual palavra chave buscou, o que visualiza no momento, historico de navegação, chat on line com o visitante, além de todos os dados e recursos do google analytics. Com isso, direciono minhas campanhas de forma segmentada e consigo obter informações do perfil de comportamento do visitante.
    O que vende muito no site Ascenty são os videos de depoimentos de clientes e o institucional. Recebi centenas de elogios e algumas empresas que são nossos clientes hoje, disseram que quando viram os videos sentiram desejo de contatar a Ascenty.
    Claro que não basta apenas ter um bom site, também é preciso ter uma equipe de atendimento e comercial preparada, qualificada e rápida em atender esses leads. Sempre digo para minha equipe, que o lead tem que ser atendido de imediato. Somos rápidos em atender e entender a necessidade do lead e isso dá nos vantagens perante alguns dos nossos principais concorrentes.
    Hoje estou a finalizar um novo projeto para aumentar a interatividade no site.

    Hugo Caixeta
    Gerente de marketing Ascenty
    Twitter: @MKTCaixeta

  • Estava pensando isso há umas semanas. Como os sites mudaram de 10 anos pra cá, hein?! No início, o diferencial era ter um site com um design bem bonito, cheio de gifs animados piscando e home page bonita, era aquela que quase não tinha barra de rolagem. E agora o que vemos? Páginas com muito conteúdo na home, modelando de acordo a necessidade do “cliente”; há uma “conversa” entre as duas partes. Como será daqui há dez anos, não sei. Mas com certeza olharemos com os mesmo olhos que estamos olhando o passado. Parabéns pelo artigo!

Deixe um comentário