O Consumo e as Diferentes Classes Sociais | Blog da Sandra Turchi | Comunicação e Marketing Digital

O Consumo e as Diferentes Classes Sociais

O Consumo e as Diferentes Classes Sociais

150 150 Sandra Turchi

Eis um assunto fascinante, as formas como as classes sociais se relacionam com o consumo, suas diferenças e, muitas vezes, suas semelhanças. Vivemos no país dos grandes paradoxos, principalmente, quando o assunto é a disparidade social. E quando transportamos essas contradições para o mundo das compras percebemos claramente como se comportam.

Observamos uma "fila" de algumas semanas para adquirir a nova bolsa da grife Louis Vuitton, a Lockit Alligator, por R$ 58 mil, bem como a abertura de novas lojas em São Paulo da Giorgio Armani e da francesa Hermès, além da Gucci que também está chegando, para atender aos consumidores que representam menos de 1% da população brasileira, sendo que ao mesmo tempo tivemos acesso ao crescimento da classe média no país, conforme estudo da FGV, em que mais da metade da população (51,8%) recebe entre R$ 1.064 e R$ 4.591 por mês.

E como pensa e consome essa grande maioria? Para essa análise temos que considerar diferentes grupos. A começar pelas mulheres, que cada vez mais se preocupam com suas carreiras, 70% delas almejam crescimento profissional (DataPopular - Meio&Mensagem, 04/08/08) e estão preocupadas em cuidar mais de si mesmas, pois 39% desejam acrescentar academias à sua rotina, 33% cabeleireiro, 25% massagens e 20% esportes, além de 14% que querem almoços com amigas. O que isso significa? Uma enorme alteração no perfil dessas consumidoras, as mesmas que anteriormente se diziam realizadas através dos filhos.

E para os profissionais do mercado, se faz necessária muita atenção para não perderem as oportunidades advindas dessas mudanças.

Outro grupo importantíssimo a ser considerado são os jovens pertencentes a essas classes. Hoje, mais sintonizados do que as gerações anteriores, devido à facilidade de acesso via celulares e internet, não se limitam mais ao universo do seu bairro e dos seus amigos, hoje eles começam a ter um consumo similar ao da classe média alta, porém, para isso, se utilizam, assim como os adultos, das facilidades trazidas pelo maior acesso ao crédito. Com isso, podem comprar o mesmo tênis de marca que o jovem de uma classe mais também usa. De qualquer forma, os hábitos das classes populares ainda diferem bastante da elite, por serem mais conservadores, mais religiosos e por serem também mais solidários, pois costumam compartilhar mais suas vidas com membros da sua comunidade.

Complementando, os gastos da família brasileira média, conforme estudo do LatinPanel (07/2008), se dividem em: 19,3% alimentação no lar, 13,4% habitação, 12,6% transporte, 10,2% contas de água e luz e outras, 7% com saúde, 6,4% vestuário e 4,6% alimentação fora do lar. Sendo que o maior grupo hoje já é representado por pessoas que vivem sozinhas ou casais sem filhos - 27% da população.

O que se torna perceptível é que, diante desses fatores de mudança contínua, a tarefa dos profissionais de marketing é cada vez mais árdua pela disputa por parte da renda dessa população, tendo que despender mais esforços no sentido de localizar seu target, selecionar adequadamente os veículos para "falar" com ele e se utilizar de mensagens que façam sentido a cada público.

(artigo publicado na Revista Marketing - agosto / 2008)

21 comments
  • Bom eu quero fotos de diferentes classes socias .. levando consideração a situação historica passado e presente

  • Sandra,

    O assunto é bastante pertinente. Há menos de um ano falava de atingir as necessidades, hoje acredito que precisamos ter uma bola de cristal com conhecimento macro e micro, intuição, visão, esperteza e empatia, para atender um público tão mutável.
    Quando precisamos realizar um trabalho com um público segmentado e um pouco mais fácil entender e atender as suas necessidades, mas quando falamos de público de massa é bastante difícil, o estudo precisa ser mais amplo.
    Se puder, preciso de alguns materiais sobre merchandising na área de agropecuária.

    • Olá Joselice, obrigada pelo seu contato e comentários. Realmente o momento é de grande complexidade.
      Infelizmente não disponho de materiais da área agropecuária, mas indico que vc procure o contato da profª Luciana Florêncio, da ESPM, especializada nessa área.
      Abs, Sandra

  • oi Sandra, sou estudante do curso de Mkt Digital da Impacta, estou precisando de alguns dados sobre o poder de compra das classes ABC na internet.

    Voce sabe onde poderia encontrar esses dados ??

    gostei mto do seu blog.

    Obrigado…..

  • Desculpe intrometer,
    Erick a revista exame fez uma materia de capa sobre o consumo digital da classe c, e nesta materia fala bastante do consumo digital a,b,c. A ediçao é de 20/10/2010 a reportagem é muito interessente e fala como o consumo digital esta crescendo.

  • Olá Sandra,

    Hoje é dia 28 de setembro, e estou lhe enviando essa mensagem para que seja respondida o mais rápido o possível, de preferência. Bem, sou estudante do 8º ano e no sábado ( 1º de outubro ) irei realizar um projeto em minha escola sobre as classes sociais. Dependo muito de artigos e de fatos que ocorrem na Classe B, e seria muito grato se, por acaso, fizesse isso em minha homenagem. Caso não possa fazer, entenderei. Mas preciso saber urgentemente sobre o consumismo da classe B.

    Grato desde já.

  • Sandra tenho um trabalho na escola sobre as diferentes classes sociais e amei seu texto vai me ajudar muito!De onde vc tirou esse texto

    Bjus tchau

  • Sandra boa tarde,
    Obrigada, seu texto é claro é objetivo sou professora de geografia e ele vai contribuir com a formação dos meus alunos.

  • francieli blank drawanz 25 de junho de 2012 at 14:22

    na verdade todos somos iguais nao ha diferença entre nos

    valeu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Olá boa tarde,

    Li o seu texto e achei muito bom e bem condensado, estou fazendo uma pesquisa para ver o poder de compra das Classes C, B e A que tenham renda acima de R$ 4.000,00. Qto estas pessoas estão dispostas a gastar com acessórios e objetos de decoração para a casa? E a porcentagem de homens, mulheres, idade…Pretendemos criar pequenos objetos de decoração com um bom design mas a um preço acessível. Se puder me fornecer outros artigos referentes a este tema agradeceria muito!

    Obrigada!

  • A sua atitude com as pessoas que comentam e perguntam e bastante carinhosa me ajudou muito obrigado tenho 13 anos e estudo em escola particular é bem puchada bjs

    • Ola João, td bem?
      Obrigada pela sua participação e comentário. Que bom que vc curtiu.
      Fico feliz em saber que alguém da sua idade está visitando meu blog!
      Se precisar, estou por aqui. Um abraço.

  • Oi Sandra,achei esse artigo muito interessante,estou iniciando minha monografia sobre consumismo feminino,sera que voce teria mais sobre esse assunto: que seja de atualidade: Obrigada

Deixe um comentário